DuPont reconhece projetos voltados à melhoria da saúde e segurança do trabalhador

Dupont 2017 -_-21

Prêmio DuPont de Saúde e Segurança do Trabalhador homenageou 12 das melhores soluções de companhias como Nissan, Toyota, Hyundai, Parker Hannifin, Masisa, entre outras.

São Paulo, novembro de 2017 – Anualmente, o Prêmio DuPont de Saúde e Segurança do Trabalhador homenageia as companhias que pesquisaram e investiram em mudanças para garantir as melhores condições possíveis para seus colaboradores.

Este ano, não foi diferente. Promovido em parceria com as revistas CIPA e Proteção, o prêmio recebeu os finalistas e agraciou três projetos em quatro categorias - Projeto Estudante, Corte e Abrasão, Proteção Térmica e Proteção Química - durante um jantar especial para participantes, convidados e imprensa, no dia 21 de novembro.

“O prêmio é um incentivo para que o Brasil invista mais em saúde dos trabalhadores, e os projetos são de altíssima qualidade”, comenta Bruno Bezerra, gerente de Vendas da DuPont para América Latina. “Quando criamos esse prêmio, não havia ninguém contemplando os técnicos e engenheiros de Segurança. São profissionais que, geralmente, são lembrados quando os problemas surgem. Nós estamos valorizando o surgimento das soluções. Além disso, os cases apresentados são melhores a cada ano, com mais pesquisa e coleta de dados, isso é algo que os jurados também percebem”, completa.

Este ano, ampliando o escopo do evento, a empresa colombiana Ecopetrol também foi homenageada por seus esforços no aumento da proteção de seus colaboradores. De acordo com Bezerra, a ideia é que, cada vez mais, empresas parcerias da DuPont em toda América Latina participem, apresentando projetos de sucesso para Saúde e Segurança dos seus funcionários. 

O líder do melhor case de cada categoria ganha viagem aos Estados Unidos, com acompanhante, participa da National Safety Council – a maior feira de SST daquele país, e ainda visita a sede norte-americana da DuPont. O segundo colocado recebe um laptop. Também foram concedidos diplomas de menção honrosa às empresas que obtiveram a terceira maior pontuação. Os dois participantes com maior pontuação no Projeto Estudante ganham placa e diploma. Adicionalmente, o primeiro colocado dessa categoria também é premiado com um laptop, e o segundo colocado com um tablet.

Abaixo, a lista dos premiados.

Projeto Estudante

A categoria Projeto Estudante deu o primeiro lugar a Joyce Neres dos Santos Brito, do Senac Santo André, que realizou pesquisa para empresa M.A. Ferramentaria, averiguando os riscos da adoção de um Equipamento de Proteção Individual (EPI) inadequado. A solução para a empresa foi a adoção das luvas de proteção DuPont™ Kevlar®. O estudo mostrou que a adoção da luva teve um custo de aproximadamente 2% em relação ao que a empresa perde com acidentes, mesmo considerando a substituição periódica do produto.

 

Em segundo lugar, a estudante Cecília Tereza Pasuch (Senac Piracicaba) realizou pesquisa a respeito do trabalho de catadores de resíduos sólidos urbanos, avaliando o risco de contato com materiais perfurantes. A pesquisadora concluiu que as luvas de proteção DuPont™ Kevlar® poderiam minimizar o número de acidentes e tornar o trabalho mais seguro.

A terceira colocada foi Érika Gonçalves Santos (Senac Santo André), que encontrou soluções para tornar o trabalho de funcionários de uma doceria mais seguro. Sujeitos a queimaduras devido à alta temperatura dos fornos, as luvas DuPont™ Kevlar® aparecem como a proteção ideal, aliando resistência e conforto.

Corte e abrasão

Ivana Ribeiro (que liderou todos os cases da empresa que chegaram à final), da Nissan do Brasil, foi a primeira colocada na categoria, com o projeto que aplicou o DuPont™ Kevlar® na criação de mangotes, que aumentaram a segurança e a saúde ocupacional dos trabalhadores. O Complexo Industrial da Nissan em Resende (RJ), teve a menor Taxa de Frequência de Acidentes de Trabalho em 2016 entre todas as unidades da empresa nas Américas, além de registrar economia com o Programa Braço Amigo, deixando de gastar com Comunicados de Acidente de Trabalho.

Henrique Lopes dos Reis, da Toyota do Brasil, foi o segundo colocado, com os testes que comprovaram que as luvas de proteção DuPont™ Kevlar® são parte essencial da segurança dos trabalhadores da empresa, e da diminuição em aproximadamente 95% do número de acidentes em 10 anos.

A Hyundai Motor Brasil foi terceira colocada com projeto encabeçado por Mario Cesar Carmona. A empresa também adotou a proteção da fibra Kevlar® em seus trabalhos de melhoria de proteção. A equipe responsável pelo projeto desenvolveu novos cintos de segurança com que demonstraram alto nível de resistência, para abrasão, arco elétrico e trabalhos a quente, garantindo maior segurança para os colaboradores, para atividades executadas acima de dois metros do nível do solo.

Proteção Térmica

PPG Industrial do Brasil garantiu primeiro lugar e melhor proteção aos funcionários ao comparar o material do uniforme anterior com o novo produto, fabricado com DuPont™ Nomex®. Os trabalhos liderados por Daniel Rosestolato, Gerente de Meio Ambiente, Saúde e Segurança da PPG, com base nos testes do DuPont™ Thermo-Man®, comprovaram a resistência e superioridade do Nomex®. Após a exposição a temperaturas extremas, o manequim com o tecido DuPont sofreu uma porcentagem muito baixa de queimaduras na área protegida, sendo poucas de segundo grau, enquanto a vestimenta de algodão da PPG sofreu um número muito superior de queimaduras, sendo a grande maioria de terceiro grau.

O DuPont™ Thermo-Man® é um manequim de tamanho real, com 122 sensores de calor espalhados pelo corpo, desenvolvido para testar a eficácia de trajes de proteção. O equipamento fica em Paulínia, no Centro de Inovação da DuPont.

A Nissan do Brasil garantiu o segundo lugar na categoria com a adoção de roupas de proteção individual criadas com DuPont™ Protera®. A empresa precisava de um material que contemplasse não só a condutibilidade elétrica, mas que fosse também resistente a chamas, já que a temperatura de um arco elétrico pode chegar a mais de 2000°C. A DuPont apresentou as vestimentas desenvolvidas com Protera®, que se sobressaíram pelo alto nível de conforto térmico.

Em terceiro, a Parker Hannifin foi escolhida por comprovar a segurança da equipe de manutenção da empresa com a utilização de Protera®, também por meio do manequim de teste Thermo-Man®, da DuPont. Os resultados do trabalho liderado por Thiago de Lima mostraram que, após cinco anos de uso, a vestimenta Protera® se mostrava mais eficaz do que um novo EPI utilizado pela empresa previamente.

Proteção Química

Masisa do Brasil, empresa líder na fabricação de painéis de MDF (fibras de madeira de média densidade) e MDP (partículas de madeira de média densidade), adotou o DuPont™ Tychem® para proteger seus colaboradores dos produtos químicos aos quais são expostos, após realizar testes com diferentes materiais. Pelo trabalho liderado por Gabriel Matheus de Souza, a companhia foi escolhida como primeiro lugar da categoria Proteção Química.

Empresa de pequeno porte, a Micro-Química realizou um diagnóstico com foco na segurança nas áreas de maior risco de suas operações, adotando diferentes produtos Tychem® para criar um ambiente mais seguro para seus funcionários, garantindo segundo lugar do prêmio DuPont nessa categoria. Ficou comprovado que é possível uma pequena empresa desenvolver elevados padrões de segurança para o trabalhador. O líder do projeto foi Cláudio Hanaoka. A empresa adotou EPIs Tychem® QC Termosselado para a lavagem de embalagens e para o envase de produtos e Tychem® TK – Nível A – para atendimento em situação de emergência química.

Em terceiro lugar, a Nissan do Brasil obteve melhor proteção dos trabalhadores no setor de tinta e verniz com o uso de novas vestimentas DuPont™ Tyvek®. Após uma semana de testes intensos, o resultado foi ideal: não houve vazamento dos agentes químicos ou contato com a pele. A solução foi também aprovada por 80% dos colaboradores nos quesitos conforto e resistência.

Mais informações em:

http://www.premiodupont.com.br