O Tychem® F ajuda a criar uma barreira de bioproteção contra patógenos altamente contagiosos

 

Para proteger suas equipes, o serviço de ambulância Altona, na cidade de Hamburgo, Alemanha, está usando o Tychem® F como barreira de bioproteção contra patógenos altamente contagiosos.

Na cidade de Hamburgo, o Instituto Bernhard Nocht (BNI) é um dos cinco centros alemães de excelência no isolamento e no tratamento de pacientes com doenças altamente contagiosas. Os pacientes com suspeita de infecções virais altamente contagiosas como Ebola ou SARS são enviados diretamente para a instalação de isolamento do departamento clínico no BNI 1.

O Serviço de ambulância e bombeiros Altona de Hamburgo é responsável pelo transporte de pacientes classificados no grupo altamente contagioso 3.3 em sua ambulância de controle de infecções especialmente equipada. Apenas os membros do corpo de bombeiros com treinamento regular têm permissão para cuidar de pacientes a bordo da ambulância de controle de infecções. Para maximizar a segurança, os membros da equipe devem usar um macacão de proteção de Tychem® F, da linha de proteção individual da DuPont, além de luvas de proteção e capuz com encaixe para o respirador. Após o uso, um procedimento de desinfecção rigoroso é executado.

É necessário que três membros da equipe estejam a bordo da ambulância de controle de infecções. Dois deles entram em contato direto com o paciente. O terceiro, chamado de Descontaminador, é o motorista e líder do trio. A seção do paciente e a cabine do motorista não se conectam de nenhuma maneira (o único contato é feito por um sistema de interfone). Isso significa que, ainda que o motorista use um macacão de proteção, não é necessário um capuz com encaixe para respirador ou aparelhos respiratórios durante o transporte.

Após o contato com um paciente infectado, o macacão de proteção deve ser desinfetado com ácido piracético diluído por cinco minutos antes de ser removido. Assim, após a conclusão da transferência, como o "Descontaminador", o líder da equipe/motorista tem a tarefa de descontaminar os outros dois colegas. Para fazer isso, ele ou ela adicionará uma máscara respiratória padrão, luvas de proteção e botas de borracha ao macacão de proteção de Tychem® F em uso.

Em todas as chamadas, a ambulância de controle de infecções também é acompanhada por uma ambulância padrão com uma equipe de duas pessoas. Essa dupla de primeiros socorros é a equipe reserva, que fica a postos caso os colegas a bordo da ambulância de controle de infecções precisem ser substituídos ou se ajuda extra for necessária. Portanto, eles também usam os macacões de proteção de Tychem® F. A ambulância acompanhante também serve como área descontaminada para o armazenamento de equipamentos.

Esse tipo de transferência de pacientes sempre é feita pelo médico de emergência de plantão, além do Responsável pela organização do serviço de ambulâncias, cada um com seus assistentes, e um Funcionário público sênior, encarregado pela operação. No total, um controle de infecção envolve quatro veículos e dez pessoas. Antes do uso do Tychem® F, esse número era duas vezes maior.

No passado, dependíamos do tempo de trânsito para uma chamada. O Corpo de Bombeiros de Hamburgo tinha que fornecer um número adequado de oficiais de reserva. Uma das principais razões para essa escala era o fato que, não somente o macacão químico completo era muito pesado para a equipe da ambulância, mas, mais especificamente, o tempo máximo de aplicação (30 minutos) era altamente restringido pelos aparelhos respiratórios (respirador de ar comprimido).

Em comparação aos macacões químicos completos usados anteriormente, o Tychem® F facilita muito o trabalho, ao mesmo tempo em que oferece o mesmo nível de proteção contra vírus e bactérias. Graças ao Tychem® F, a equipe da ambulância pode se proteger com um capuz com encaixe para respirador transparente, que recebe alimentação de ar fresco por um filtro/unidade de ventilador usado fora do macacão e anexado ao cinto. Uma pequena sobrepressão ocorre sob o capuz para minimizar o risco de penetração de patógenos. Além disso, a bateria que alimenta esse aparato respiratório funciona por oito horas.

Em comparação a antes, apenas metade do número de pessoas é necessário para atender a uma chamada de controle de infecção, reduzindo muito os recursos necessários em termos de funcionários, equipamento e logística.